Notícias

Bebê morre após ter atendimento recusado por médica no RJ

Pelo Facebook, pai fez relato emocionado sobre a morte do menino

Da Redação

Breno tinha um ano e seis meses – Foto: Reprodução/Facebook

Um bebê de um ano e seis meses morreu no último dia 7 de junho, no Rio de Janeiro, após ter o socorro negado por uma médica. A família alega que solicitou uma ambulância pelo plano de saúde depois que a criança, que sofria de uma doença neurológica, passar mal. Quando a equipe chegou, a médica negou atendimento e rasgou o boletim do paciente, segundo afirmaram testemunhas. Um outro veículo foi solicitado, mas o bebê morreu cerca de 1h30 após a negativa.

Em entrevista à imprensa, o motorista que acompanhava a profissional disse que ela se exaltou após saber que o paciente era uma criança e afirmou que não era pediatra, por isso não iria atendê-lo. Ele chegou a chorar ao dar a declaração. O menino, Breno Rodrigues Duarte da Silva, morreu de broncoaspiração, após aspirar ao próprio vômito.

A médica era funcionária da Cuidar Emergências Médicas, empresa que presta serviço para o plano de saúde Unimed-Rio. Em nota, a Unimed-Rio lamentou a morte de Breno e afirmou que vem prestando apoio irrestrito à família.

Posicionamento

Ainda de acordo com a nota, “a cooperativa tomará todas as providências para descredenciar imediatamente o prestador Cuidar, pela postura inadmissível no atendimento prestado à criança. Além disso, adotará todas as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis em razão da recusa de atendimento por parte do prestador de serviço”.

Em entrevista ao jornal Extra, uma diretora da Cuidar, que não quis se identificar, afirmou que a médica tinha qualificação técnica para atender a criança, independente de sua especialização. “Nosso serviço tem a mesma lógica do bombeiro”, esclareceu a executiva ao jornal carioca.

Tragédia

Pelas redes sociais, o pai de Breno, Felipe Duarte, fez um relato emocionante sobre a morte do filho.

“Breno meu amado filho! Por que se foi tão rápido?!? Ainda tínhamos tanto para viver… cada momento juntos foi tão maravilhoso! Você nos trouxe tantos ensinamentos, tanto amor e tanta esperança! Se você soubesse o quanto todos nós te amamos!! Tenho certeza que agora você está em um lugar melhor e um dia vamos nos reencontrar. Sempre agradeci a Deus por você ter vindo para nossos braços, pois nós sabíamos como cuidar de você! Papai e mamãe te amam muito! Você é uma criança abençoada completamente pura. Descanse em paz meu filho!”

A mãe, Rhuana Rodrigues, está grávida de três meses e se revoltou. “Ele poderia estar vivo se não fosse por esse descaso”.

Investigações

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apura as causas da morte e a médica pode responder por homicídio culposo. O Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) também abriu uma sindicância para apurar o caso. A profissional suspeita de negar o atendimento à criança foi demitida pela Cuidar.

Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário