Notícias Saúde

Bebês com menos de um ano não devem beber suco, dizem especialistas

Escrito por Marielly Campos

A recomendação foi feita Academia Americana de Pediatria, que alterou a indicação de oferecer a bebida após os seis meses

Da Redação

Recomendações contrariam indicações anteriores a fim de  incentivar o consumo da fruta in natura – Foto: Mm91/PixaBay

O suquinho de frutas natural, muito comum na dieta dos bebês a partir dos seis meses de vida, passou a não ser indicado para os pequenos antes do primeiro ano de vida. A recomendação foi feita recentemente pela Academia Americana de Pediatria, que aponta que a bebida não é tão saudável quanto acreditávamos.

“Antes, a Academia Americana de Pediatria recomendava que os pais evitassem 100% o suco de frutas para bebês menores de seis meses. Mas neste ano, a entidade endureceu sua posição contra o suco, recomendando que a bebida seja banida inteiramente da dieta de um bebê durante o primeiro ano”, reforça o pediatra e homeopata Moises Chencinski.

“A preocupação é que o suco não oferece benefícios nutricionais no início da vida e pode tomar o lugar de alimentos que os bebês realmente precisam: leite materno (ou fórmula) e suas proteínas, gorduras e minerais, como o cálcio”, completa o médico.

Chencinski esclarece ainda que esta é a primeira vez que a entidade atualiza suas diretrizes sobre o suco de frutas desde 2001.

Outros motivos

Apesar de parecer uma recomendação surpreendente para alguns pais, o suco não é tão saudável para os pequenos. A fruta in natura tem uma quantidade de fibras maior do que o suco e seu açúcar natural causa menos problemas dentários. Além disso, o pediatra explica que é importante que as crianças aprendam a comer alimentos frescos.

Clique e veja também:

Hora das refeições não precisa ser uma batalha; veja dicas
Boas práticas na introdução alimentar garantem um futuro saudável

 

“Então, se considerarmos que o suco de frutas é igual à fruta, não estamos tendo uma compreensão correta das informações nutricionais”, diz o médico, que é membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Na verdade, há quem defenda que o suco de fruta deva ser oferecido apenas em ocasiões especiais, especialmente para crianças com alto risco de cárie dentária. O médico alerta ainda que, em termos de açúcar e calorias, o suco industrializado é semelhante ao refrigerante.

“As novas diretrizes, publicadas na revista Pediatrics, também recomendaram restringir o suco de frutas a 120 ml diariamente para crianças de um a três anos e 180 ml por dia para crianças de quatro a seis anos”, destaca o pediatra. O último relatório limitou a ingestão diária máxima para crianças mais velhas, de seis a 18 anos. A recomendação antiga era de 354 ml; agora apenas 240 ml são aconselhados.

Obesidade

Chencinski explica ainda que não há uma ligação convincente entre a obesidade e as crianças que bebem quantidades modestas de suco de frutas. Ainda assim, as novas diretrizes defendem que o suco “não tem papel essencial em dietas saudáveis e equilibradas de crianças”. Outra preocupação, apontada no documento, é que o suco pode ser um tipo de porta de entrada para o consumo de outras bebidas açucaradas. Há estudos que mostram que os bebês que bebem mais suco são mais propensos a beber refrigerantes e bebidas contendo açúcar.

“Assim, a recomendação é para o consumo de frutas frescas, in natura, e o consumo de água para hidratação, criando um hábito saudável desde cedo”, finaliza o especialista.

Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário