Fases Saúde

Cuidados na pré-concepção evitam doenças e até malformação do feto

Escrito por Marielly Campos

Ginecologista lista cuidados gerais e específicos que devem ser tomados pelas futuras mamães e futuros papais antes de engravidar 

Da Redação

Segundo especialista, devemos lembrar que os cuidados envolvem o casal e não apenas a mulher- Ana Nascimento/MDSPortal-Brasil.

Segundo especialista, devemos lembrar que os cuidados envolvem o casal e não apenas a mulher- Ana Nascimento/MDSPortal-Brasil.

Mulheres que pretendem engravidar devem tomar alguns cuidados para garantir uma gestação saudável e com menos riscos de desenvolver doenças, como, por exemplo, diabetes, anemia, bebês com restrição de crescimento e até mesmo malformações fetais.

Segundo o ginecologista Gilberto Nagahama, do Hospital San Paolo, de São Paulo, “é possível diminuir esses riscos e, consequentemente, minimizar o impacto de diversas doenças que todos nós estamos sujeitos”. O especialista enumera alguns cuidados gerais e outros específicos para as mulheres que estão se preparando para a gestação.

Cuidados gerais

Em relação aos cuidados gerais, Nagahama diz que “antes de qualquer coisa, devemos sempre lembrar que esses cuidados envolvem o casal e não necessariamente apenas a mulher”.

O ginecologista ressalta que é importante mudar os hábitos alimentares e melhorar o condicionamento físico – adquirir ou manter o peso corporal considerado ideal diminui os riscos cardiovasculares e de diabetes gestacional e hipertensão arterial. Um melhor condicionamento físico ajudará quando a futura mamãe entrar em trabalho de parto.

“Se fumar, pare o quanto antes”, destaca. O especialista explica que, apesar de ser difícil se livrar da dependência de nicotina, a gravidez pode não facilitar a libertação deste vício. “O tabagismo traz sérios danos à saúde e na gestação ocorrem danos específicos, como aumento do risco de aborto, envelhecimento precoce da placenta e restrição de crescimento intra uterino”, completa.

Mulheres que tem o hábito de ingerir bebida alcóolica também devem abandoná-lo. Segundo ele, o álcool seja uma tacinha de vinho ou um garrafa de aguardente, pode causar mal formações fetais, como a síndrome feto alcoólica, que podem acarretar em alterações congênitas retardo no crescimento e anomalias do sistema nervoso central nervoso.

Cuidados específicos

Como cuidados específicos, a ingestão de ácido fólico por ao menos três meses antes de engravidar e nos três primeiros meses de gestação também estão entre as recomendações. “Isso diminui os riscos de malformações do tubo neural, como anencefalia, meningocele, espinha bifida entre outros”, acrescenta o especialista.

Além disso, é importante fazer um check up ginecológico, com exame Papa Nicolau e avaliar se não há infecções vaginais para serem tratadas antes da gravidez. Outros exames como ultrassom ginecológico ficará a critério da avaliação médica.

Nagahama sugere ainda que sejam feitos exames de sangue e sorologias, para possível correção ou ações preventivas. “Por exemplo, num exame de sangue podemos detectar anemia, sendo a mais comum a ferropriva, podemos corrigir orientando a dieta e suplementação de ferro.”

No caso de diabetes, a futura mamãe será encaminhada ao endocrinologista para engravidar no momento em que a glicemia estiver controlada, o recomendado é que a concepção aconteça três meses após esse controle.

Em relação às sorologias, a importância desses exames se deve ao fato de que muitas doenças graves na gestação podem ser evitadas se a mulher for imunizada para determinadas doenças como rubéola, hepatite A e B, tétano, coqueluche entre outras, segundo explica o médico.

Ele ressalta ainda que a avaliação da carteira de vacinação também é importante para o médico obstetra orientar sobre as imunizações que podem e devem ser realizadas. “A rubéola, por exemplo, pode ser uma doença muito grave na gestação pelo fato de oferecer um risco aumentado para inúmeras malformações”, conclui Nagahama.




Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário