Desenvolvimento Comportamento Educação

Descubra qual a leitura ideal de acordo com a idade da criança

Escrito por Marielly Campos

As experiências e vivências das crianças podem se relacionar com a leitura

Da Redação

 

Entre os dois e cinco anos a criança está começando a assimilar as peculiaridades do mundo exterior – Foto: Kaenie/PixaBay

Já é sabida a importância da leitura para as crianças. O hábito de ler para os pequenos pode ser iniciado antes mesmo do nascimento, já na barriga da mãe. Criar, estimular e facilitar o gosto pelos livros são tarefas importantes e que devem ser desempenhadas pelos pais desde cedo.

Mas, neste esforço contínuo, um questionamento bastante pertinente costuma emergir: qual é o tipo de leitura mais apropriado para cada idade? As experiências e vivências das crianças podem se relacionar com a leitura, que é um pilar complementar do desenvolvimento, contribuindo para que a noção de mundo do indivíduo se alargue e se fortaleça.

Maíla Sandova, que faz parte da equipe pedagógica do Jornal Joca, voltado para as crianças, sugere abaixo alguns títulos indicados para cada faixa etária. Confira:

Primeiros contatos: entre os dois e cinco anos

Nesta idade, a criança está começando a assimilar, ainda que de forma bastante abstrata, as peculiaridades do mundo exterior.É justamente a fase em que o contato e o conhecimento da realidade devem ser valorizados e estimulados, contribuindo ativamente para que o indivíduo integre, de fato, o universo físico que o cerca.

No momento da escolha dos livros, porém, é preciso estar atento à capacidade de entendimento da criança. Isso porque, nesta idade, é comum haver certa dificuldade em acompanhar histórias relativamente complexas com começo, meio e fim.

Clique e veja também:
Ajude seu filho a escrever melhor
Saiba por que é importante ler para as crianças

Por isso, o mais correto seria optar por enredos concisos ou cenas únicas, apostando em jogos de sons e versos e em imagens coloridas e/ou texturizadas.

Alguns dos títulos que recomendamos para esta faixa etária são:

Bem-te-vi e Outras Poesias, de Lalau: o livro reúne muitos dos fatores positivos citados. A sonoridade do texto, que é repleto de rimas e tem um ótimo ritmo de leitura, se alia à temática leve e simples, estimulando a reflexão a respeito das descobertas cotidianas da criança. O livro foi classificado como “altamente recomendável” pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), em 1994, na categoria “Poesia”.

Girafas Não Sabem Dançar, de Giles Andreae: o texto conta uma história encantadora, acionando elementos que a criança, nesta fase, está começando a compreender. Os animais sempre exercem fascínio na infância e o livro se aproveita da temática para prender a atenção do leitor/ouvinte. Além disso, o aspecto sensorial está muito presente no material: seu caráter interativo lhe rendeu o prêmio de “Melhor Livro Brinquedo” pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).

O estímulo contínuo: dos cinco aos nove anos

Entre os cinco e os nove anos, nota-se na criança um deslumbramento expressivo por tudo o que envolve a fantasia. É, portanto, a hora certa de indicar fábulas, contos, enredos lendários e textos simples que abordem tudo o que é “mágico”, permitindo que haja total vazão ao processo de imaginar.

Entender as preferências da criança em cada fase vai garantir recomendações mais consistentes e, por consequência, mais efetivas em estimulá-la à leitura.

Neste momento, com as crianças em plena fase de atividade intelectual, uma boa opção também pode ser encontrada no trava-línguas – ótimo para entreter tanto quanto para desenvolver habilidades de pensamento rápido e expressão verbal.

Alguns dos títulos que recomendamos para esta faixa etária são:

O Jornal, de Patrícia Auerbach: o livro se aproveita de uma situação cotidiana (no caso, o pai que não larga o jornal) para convidar a criança a viver as aventuras do protagonista, um garotinho curioso que imerge em mágicas experiências. O material levou o prêmio de “Melhor Livro Ilustrado” pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) em 2013.

Menina das Estrelas, de Ziraldo: o livro é uma experiência completa no mundo das ilustrações de fantasia. Mundialmente reconhecido por dedicar seu talento de desenhista à educação e ao entretenimento das crianças, o autor traz, neste título, uma aventura espacial que condensa, ainda, discussões que são importantes desde a infância.

O desenvolvimento: dos nove aos 12 anos

A criança tende, nesta faixa etária, a demonstrar interesse pelo que é concreto. É o momento em que começa a se orientar com mais firmeza e propriedade no universo físico em que vive, buscando visualizar nos livros aquilo com que se relaciona no cotidiano.

Muito embora não seja necessário (e nem recomendável) suprimir o contato com histórias mágicas e de fantasia, é o momento de aproximar a criança, por meio da literatura, das vivências do dia a dia. Investir em aventuras e narrativas de exploração é uma boa pedida.

Alguns dos títulos que recomendamos para esta faixa etária são:

Corais, de Jason Chin: o livro é um bom exemplo de história que une o cotidiano às descobertas. O enredo parte de uma atividade comum, como uma visita à biblioteca, e viaja até a exploração de um ambiente até então desconhecido – o fundo do mar e seus mistérios. O texto apresenta linguagem leve, mas nem por isso pouco profunda. O material é fruto de uma extensa pesquisa empreendida pelo autor em busca das paisagens mais deslumbrantes do mundo.

A Gruta de Lascaux, de Sylvie Girardet: mais uma ótima opção para estimular seu filho às aventuras proporcionadas pela literatura. O livro relata as peripécias de um grupo de amigos em uma viagem pela evolução das civilizações. O material reúne jogos e brincadeiras, além de despertar a curiosidade pela História e pela cultura. Foi também considerado “altamente recomendável” pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), em 2000, na categoria tradução/informativo.

“É uma tarefa bastante complexa a de selecionar apenas alguns livros. As opções são excelentes e inúmeras”, diz Maíla. Ainda segundo a profissional, para cada fase de desenvolvimento da criança e para cada tipo de leitura recomendada a sua faixa etária, o montante de material é riquíssimo e muito vasto.

É importante que os pais fiquem atentos aos interesses e preferências de cada fase da infância e estimule seu filho a imergir nos livros como forma de descobrir o mundo e a si mesmo. “Os benefícios de fazer da leitura um hábito são inegáveis e perduram por toda a vida – da infância à velhice”, completa Maíla.

Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário