Comportamento

Seu bebê sofre com cólicas?

Alguns cuidados podem ser tomados para evitar o desconforto dos pequenos

Da Redação

Banho de balde é uma alternativa que pode ser testada para amenizar o desconforto – Foto: Andreas Bauer/FreeImages

Choros inconsoláveis mesmo após banho ou mamada. Você já se certificou se o bebê está agasalhado, se a fralda está seca, se não tem febre… E ainda assim ele não para de chorar? Quando nada na rotina justifica esse desconforto, é possível que o bebê esteja sofrendo com as cólicas.

A situação é angustiante para os pais e para os bebês. “Entende-se por cólica quando o bebê menor de cinco meses chora por mais de três horas seguidas, mais que três vezes por semana e por no mínimo três semanas”, explica a enfermeira obstetra Cinthia Calsisnski.

As cólicas são contrações irregulares e dolorosas no intestino. Além do choro, flexão das pernas e endurecimento da barriga também ajudam a identificar o problema. Elas acontecem, em geral, entre o início da tarde e até por volta de meia-noite – justamente no período que a mamãe está mais cansada. Por isso, a ajuda dos papais e outros familiares neste momento é muito importante.

Mas, mesmo antes de esperar o diagnóstico preciso, algumas práticas podem diminuir o desconforto.



Dicas

Cinthia afirma que não se deve oferecer água ou chás aos bebês menores de seis meses de vida – uma vez que a amamentação deve ser exclusiva até esta idade, conforme recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde). “A mãe que amamenta pode sim beber o chá pensando em atenuar as cólicas dos bebês, algumas relatam melhora do quadro”.

Durante a crise, oferecer o peito ajuda acalmar o bebê, pois o aleitamento materno causa bem estar. A especialista explica ainda que nesta hora todas as alternativas devem ser testadas. “Massagens, compressas quentes, shantala, banho, banho de balde estão entre as opções que podem ser testadas para amenizar o desconforto do pequeno”, ensina a enfermeira.

Vale lembrar ainda que todos os bebês podem sofrer com a cólica. Sejam eles amamentados exclusivamente com leite materno, os alimentados com fórmulas, os prematuros ou nascidos a termo, todos têm as mesmas possibilidades de sentir o desconforto.

Pediatra

Relatar o problema ao pediatra é extremamente importante. Ele poderá indicar a melhor forma de tratá-lo – lembrando que os medicamentos só devem ser utilizados com orientação médica – e também avaliar se não é um problema mais grave. Isso porque a cólica pode sinalizar algum outro mal, como hérnia ou outra doença.

Se não for diagnosticada nenhuma doença, em geral, as cólicas passam após o terceiro ou quarto mês de vida do bebê. Até lá, cuidado e carinho com o pequeno ajudam a enfrentar esta fase.



Marielly Campos

Recent Posts

Fisher-Price faz recall de cadeirinhas de bebê em quase cinco milhões

Com o recall de cadeirinhas, o grupo americano anunciou recolhimento dos produtos após indícios de…

2 anos ago

Mãe faz ilustração fofa para explicar por que a filha tem a cor da pele diferente da dela

“Quando passeio com minha filha, muitas vezes, me perguntam se ela é minha filha mesmo.…

2 anos ago

Pai batiza o filho de Corinthienzo para homenagear time do coração

Nome da criança gerou polêmica nas redes sociais; alguns usuários se divertiram, outros, criticaram Da…

2 anos ago

WiFi Ralph – Quebrando a Internet é a aposta dos estúdios Disney para as férias

Animação fala de amizade e humor e traz as famosas princesas em situações divertidas e…

3 anos ago

Brincando com a Turma da Mônica traz dicas de brincadeiras para curtir as férias

Livro reúne 70 jogos que prometem divertir as crianças e fazer os pais voltarem no…

3 anos ago

Apenas 30 casos de pólio foram registrados em todo mundo em 2018, diz OMS

Vírus que causa paralisia infantil está perto de ser erradicado; casos foram registrados no Afeganistão…

3 anos ago