Saúde Notícias

DF confirma H1N1 em bebê de um ano

Escrito por Marielly Campos

Caso foi o primeiro diagnosticado este ano; criança apresentou sintomas de Influenza tipo A e foi internada

Da Redação, com Agência Brasil

Um menino de um ano e três meses foi a primeira pessoa diagnosticada com a infecção pelo vírus H1N1 no Distrito Federal neste ano. A confirmação foi feita nesta terça-feira (10) pela Secretaria de Saúde da unidade federativa. A criança apresentou sintomas da chamada Influenza tipo A, foi internada por três dias e já recebeu alta médica. Por questões de privacidade, a pasta não informou o hospital em que o menino foi tratado, nem o local onde mora.

“É o primeiro caso no Distrito Federal este ano. A gente vem fazendo o monitoramento de casos desde o início do ano. Desde janeiro, [monitoramos] todos os casos de síndrome respiratória, casos graves e síndromes gripais um pouco mais simples”, disse a diretora de Vigilância Epidemiológica, Maria Beatriz Ruy.

Segundo Maria Beatriz, há mais 35 casos suspeitos de infecção por H1N1 sendo investigados.

Surto em Goiás

A Secretaria de Saúde de Goiás informou que pelo menos 63 casos de infecção pelo vírus foram confirmados no estado, além de oito óbitos provocados pelo H1N1.

Até as 16h desta terça-feira, a secretaria deve divulgar novo boletim epidemiológico, com dados atualizados e detalhados sobre o surto na região.

Vacinação

O Ministério da Saúde ainda não marcou o início da campanha nacional de vacinação, mas segundo a assessoria de imprensa da pasta, deve ocorre entre abril e maio. Idosos acima de 60 anos, crianças com mais de 6 meses e menores de 5 anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, trabalhadores de saúde, povos indígenas, portadores de doenças crônicas e professores da rede pública e particular serão convocados para a imunização. Os grupos alvos da campanha são os mais vulneráveis.

Prevenção

Segundo o Ministério da Saúde, a transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

Por isso, a adoção de cuidados simples ajuda a evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

A pasta ressalta ainda que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar, imediatamente, o médico. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

* Com informações da Agência Saúde

Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário