Saúde Higiene e Cuidados

Escarlatina pode causar febre e erupções na pele

Doença atinge principalmente crianças com idades entre três e sete anos

Da Redação

Ofereça muita água e líquidos para hidratar e manter o corpo em equilíbrio – Foto: Digihanger/PixaBay

Dores no corpo, garganta, barriga e cabeça, mal-estar, náuseas, vômitos e febre alta (acima de 38,5ºC) são sintomas de muitas doenças que acometem, principalmente, as crianças. Entre elas, a escarlatina. Altamente contagiosa, a doença tem origem bacteriana e atinge pessoas que possuem sensibilidade às toxinas produzidas pelo Estreptococo Beta Hemolítico do grupo A. A incidência é maior em crianças com idades entre três e sete anos.

O diagnóstico pode assustar pais e cuidadores, “especialmente quando pesquisam na internet e visualizam exemplos crônicos dos principais sintomas”, explica a pediatra Priscila Zanotti Stagliorio. Entretanto, “a escarlatina tem tratamento e seguindo as orientações do pediatra, a criança se recupera logo e sem sequelas”, completa.

O que diferencia a escarlatina de outros males são as erupções cutâneas características, após o período de incubação entre dois e cinco dias. “Elas se iniciam na face, descem para o pescoço e depois se manifestam no tronco (peito e costas), com textura áspera e avermelhada na pele”, diz a médica.

Porém, não há motivo para pânico. Se tratada de forma correta, a criança se recupera logo e sem sequelas.

Tratamento

Ao notar os sintomas da doença os pais devem procurar um pediatra. O tratamento é feito com o uso de antibióticos e é recomendado também que a criança acometida não fique exposta em ambientes com outras pessoas para evitar a transmissão e assim provocar novas infecções.

“Quando não tratada adequadamente, conforme orientações prescritas pelo médico, a escarlatina pode provocar outras intercorrências de cunho mais grave como, por exemplo, otite, danos renais, artrite, febre reumática, osteomielite, hepatite, sinusite, pneumonia e meningite”, alerta Priscila.

Abaixo, a pediatra lista alguns cuidados diários que devem ser tomados durante o tratamento:

– Mantenha visitas periódicas com o pediatra para esclarecer dúvidas e para diagnósticos precisos. Lembre-se que desta maneira você cria vínculo com o profissional e ele conhece todo o histórico da criança

– Mantenha os locais arejados, limpos e com umidificadores de ar (bacia com água, toalha molhada ou aparelhos apropriados para este fim)
– Nunca dívida copos, chupetas e mamadeiras entre as crianças

– Não exponha a criança com outras no caso dela estar doente, especialmente na escola. Em geral, a incidência de casos de infecção viral, incluindo a escarlatina, acontecem em crianças entre três e sete anos

– Ofereça muita água e líquidos (sucos e chás) para hidratar e manter o corpo em equilíbrio, pois a pele também pode apresentar ressecamento
– Utilize soro fisiológico para hidratar as narinas e os olhos, pelo menos duas vezes ao dia

– É importante retirar cortinas, bichos de pelúcia, tapetes e objetos que acumulem pó na casa e nos principais locais em que costumam ficar.

Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário