Desenvolvimento Comportamento

Faça as perguntas certas para seu filho

Escrito por Marielly Campos

Se a criança responde de forma evasiva, pais podem questionar as crianças de forma que as estimule a falar

Da Redação

O diálogo com as crianças desde cedo transmite a elas sensação de segurança – Foto: Unsplash/PixaBay

“Sim”, “não”, “tudo bem” ou apenas um aceno. Essas são as respostas de muitas crianças para as perguntas cotidianas dos pais, mães e cuidadores. Conversar com uma criança pode não ser uma tarefa fácil para alguns. Entretanto, para evitar esse tipo de situação, é importante saber como interagir com os pequenos.

De acordo com a coordenadora pedagógica Maíla Sandoval, do Jornal Joca, “o diálogo com as crianças desde cedo transmite para elas o sentimento de que estão crescendo em um ambiente no qual elas podem contar com os seus pais para tudo”.




É fundamental saber a melhor maneira de conversar, pois algumas atitudes dos adultos podem inibir as crianças de falarem. “Muitas vezes, elas são criticadas e levam uma baita bronca dos pais ao tentar contar algo. E, sem querer, esses pais acabam afastando seus filhos, dificultando que tenham uma boa relação e atribuindo à conversa um significado aversivo”, completa.

Saber se colocar no lugar deles, escutá-los sem críticas ou julgamentos são dicas importantes. Segundo Maíla, os pais ou cuidadores devem evitar os conflitos.

“Se ele veio até você, é porque está buscando apoio, ajuda e compreensão”, destaca. “É por meio da comunicação e da transmissão de mensagens afetivas que se criam laços profundos entre pais e filhos”, completa.

A especialista diz ainda que existem algumas perguntas que podem ser feitas para estimular a comunicação com os filhos, evitando as respostas evasivas como “sim” ou “não” e questões que fogem do tradicional “como foi na escola hoje?”.

Veja algumas dicas:

Qual foi a coisa mais engraçada que aconteceu na escola hoje?
Quem é a sua professora favorita? E a que menos gosta? Por quê?
O que você mais gosta na escola? O que menos gosta?
Quem é o seu melhor amigo na escola? E fora dela?
Tem algum coleguinha na escola que você não gosta? Por quê?
Qual a sua matéria favorita? Qual a que menos gosta? Por quê?
O que você mais gostou de aprender hoje na escola? O que menos gostou?
O que você quer ser quando crescer? Por quê?
Alguém fez algo que te deixou chateado hoje?
Você fez algo que deixou alguém chateado hoje?

“E o mais importante, aproveite esses momentos para aumentar a proximidade e conhecer seus sentimentos, suas dúvidas, inseguranças e preocupações e para que ele te conheça também, estabelecendo uma relação forte e verdadeira”, diz Maíla.

Ainda segundo a profissional, essas conversas podem acontecer durante o momento de brincar, do banho, a caminho da escola ou do passeio, em uma fila… “ninguém precisa parar tudo para sentar e ficar só conversando, isso pode tornar o momento entediante”, finaliza.






Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário