Saúde Notícias

Febre amarela: saiba quem deve se vacinar

Escrito por Marielly Campos

Casos da doença assustam pais, mães e gestantes; vacinação é a única forma de prevenção

Da Redação

Em crianças, a vacinação acontece aos nove meses com reforço aos quatro anos – Foto: Arquivo/Agência Brasil

Os diversos casos de febre amarela – principalmente em Minas Gerais – têm assustado pais, mães e gestantes. Até o dia 27 de janeiro deste ano, 555 casos suspeitos foram registrados. Do total, 442 casos permanecem em investigação, 87 foram confirmados e 26 descartados, segundo informações do Ministério da Saúde.

Ao todo, 42 pessoas morreram vítimas da doença. Os casos foram registrados em Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. A maioria dos casos foi registrada em MG.



A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida, em áreas urbanas, pelo mosquito Aedes aegypti. A forma de prevenção é a vacinação. Mas, quem deve tomar a vacina?

Vacina

De acordo com o Ministério da Saúde, “a vacina contra febre amarela é altamente eficaz e segura para o uso”. Ela é ofertada gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) nos postos de saúde e é disponibilizada durante o ano todo.

Para os bebês, a indicação é que a vacinação aconteça aos nove meses, com reforço da dose aos quatro anos. Caso a criança não tenha sido imunizada na idade recomendada, ela deve tomar a primeira dose e o reforço em um intervalo mínimo de 30 dias.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, explica que a vacina para febre amarela não deve ser aplicada ao mesmo tempo em que a tríplice viral (que protege contra sarampo, rubéola e caxumba) ou tetra viral (que protege contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela).

“A criança que não recebeu a vacina para febre amarela nem a tríplice viral ou tetra viral e for atualizar a situação vacinal, a orientação é receber a dose de febre amarela e agendar a proteção com a tríplice viral ou tetra viral para 30 dias depois”, ensina.

As pessoas que não vivem nas áreas consideradas de risco ou que não vão viajar a esses lugares não devem tomar a vacina neste momento, recomenda o Ministério da Saúde. “Para adultos que tomaram a primeira dose há menos de dez anos, também não há necessidade de adiantar a dose de reforço”, afirma a coordenadora.

Contraindicações

A vacina contra a febre amarela não é indicada para gestantes. Entretanto, a pasta alerta que, em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem para área de risco, o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação. Isso vale também para as crianças menores de seis meses, idosos acima de 60 anos e mães que amamentam bebês de até seis meses.

Pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas também devem consultar um especialista antes de se vacinar.

Sintomas e tratamento

A febre amarela causa sintomas como febre de início súbito calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Não há um medicamento para tratar a pessoa com febre amarela, segundo informações do Hospital Infantil Sabará, em São Paulo.

“O tratamento é apenas sintomático e requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sangüíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido numa Unidade de Terapia Intensiva”, informa a instituição.








Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário