Fases Saúde

OMS: sarampo está eliminado do Brasil

Escrito por Redação

Doença não é registrada no país há um ano; sarampo é transmitido pelo ar ou contato direto

Da Redação, com Agência Brasil

Atualmente, o sarampo é considerado uma das principais causas de morte entre crianças no mundo – Foto: José Cruz/ABr

Atualmente, o sarampo é considerado uma das principais causas de morte entre crianças no mundo – Foto: José Cruz/ABr

A OPAS/OMS informou, nesta quarta-feira (26), que a circulação endêmica do vírus do sarampo foi considerada interrompida no Brasil. A declaração foi feita após um ano sem o registro de novos casos no Brasil.

De acordo com Ministério da Saúde, a expectativa é que, até o fim de 2016, o Brasil receba o certificado de eliminação do sarampo pela OMS. O documento reconhece a eliminação da transmissão da doença em todo o continente americano. A região será a primeira do mundo onde isso acontece. Em 2015, a rubéola também foi considerada eliminada.

Os últimos casos de sarampo no país foram registrados em julho do ano passado, em um surto de sarampo no Ceará. Na ocasião, a Opas/OMS investiu R$ 1,2 milhão para apoiar os custos de ações para controle do surto e no recrutamento de 165 enfermeiros e auxiliares de enfermagem.

Transmissão

Segundo a organização, os profissionais participaram do mapeamento das regiões com maior transmissão de sarampo. A iniciativa permitiu que a vacinação fosse feita tanto em unidades básicas de Saúde quanto nas casas das pessoas que viviam em áreas de maior circulação do vírus causador da doença.

O sarampo é normalmente transmitido por meio do ar e do contato direto. O agente infeccioso é um vírus que infecta as membranas mucosas e, em seguida, se espalha por todo o corpo, causando uma doença grave e altamente contagiosa.

Atualmente, a doença é considerada uma das principais causas de morte entre as crianças no mundo. Aproximadamente 114,9 mil pessoas morreram em consequência dessa doença em 2014, principalmente as menores de cinco anos de idade, o que corresponde a 314 óbitos por dia ou 13 por hora.

Sobre o autor

Redação

Deixe o seu comentário