Desenvolvimento Saúde

Teste do pezinho deve ser feito até o 5º dia de vida

Escrito por Marielly Campos

Exame detecta doenças graves e tratáveis em recém-nascidos

Da Redação

“Picadinha” no pé do bebê ao nascer ajuda a prevenir problemas no futuro – Foto: Christianabella/PixaBay

O Dia Nacional do Teste do Pezinho é comemorado nesta terça-feira, dia 6 de junho. A “picadinha” detecta doenças graves e tratáveis antes que seus sintomas apareçam, prevenindo problemas como retardo mental e até mesmo o óbito do bebê e deve acontecer até o quinto dia de vida.

O exame também possibilita a identificação de algumas condições clínicas, como o traço falciforme, possibilitando o aconselhamento genético e a reprodução consciente, segundo explicam especialistas. Considerado atualmente um dos principais avanços em Medicina Preventiva, é um dos programas de saúde pública de maior sucesso do século 21.

“É importante que o pediatra esteja atento às manifestações clínicas das doenças e sempre proceda a investigação de uma hipótese diagnóstica, mesmo que o Teste de Triagem Neonatal tenha sido normal”, explica a Léa Maria Zanini Maciel, especialista da Regional São Paulo da SBEM-SP Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia).

Segundo a médica Tânia Bachega, da SBEM-SP, “no Brasil, nascem quase três milhões de crianças por ano e a cobertura da triagem nos recém-nascidos vai depender de cada Estado. Em São Paulo, são cerca de 50 mil crianças nascidas, e como a cobertura de recém-nascidos triados gira em torno de 90 a 95%, está quase na totalidade. Mas, infelizmente, há ainda uma grande falta de conhecimento da população. Muitas mães não sabem para que serve o teste e o confundem com a identificação (da impressão digital do pé) da criança na maternidade”.

Tânia acompanhou a reformulação do PTNT (Programa Nacional de Triagem Neonatal), que foi implantado em diferentes fases, de acordo com as doenças rastreadas, e hoje detecta: hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria, anemia falciforme e outras hemoglobinopatias, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase. Desde junho de 2014, todos os Estados do Brasil estão habilitados para o Programa.

Quando fazer

O teste deve ser realizado, preferencialmente, entre o terceiro e quinto dia de vida do recém-nascido. “A triagem neonatal é um processo complexo, pois não se restringe à realização dos testes para diferentes doenças, mas também na busca ativa das crianças com resultados positivos, a confirmação diagnóstica da doença, o início do tratamento no menor tempo possível e o acompanhamento por uma equipe multiprofissional”, complementa a médica Léa Maria Zanini Maciel.

Sobre o autor

Marielly Campos

Deixe o seu comentário